Maria Julia

Maria Julia és tu menina

guria ensimesmada

do vestido florido

chegava a tardinha onde andará esta rapariga

indagava frente a velha imagem de nosso senhor na cruz , de suas súplicas, já comprazido.

Olha, não te desgasta comadre,

era a vizinha da janela em frente

comiserada com tamanha pensão

menina moça é assim mesmo

há de se fazer relevação.

Mas a pobre senhorinha

só fazia redobrar seus cuidados

alisava o vestido da eucaristia

usado ainda aquela manhã

tão linda estava Maria Julia

entrando a passos cadenciados

recebendo a comunhão

da sacristia ela espiava

como agora da janela

esperava

em verdadeira aflição.

Se Maria Julia soubesse.

Se Maria Julia sonhasse.

Se Maria Julia caísse

de seu mundinho imaginário

veria uma mãe que sofria

uma mãe que não dormia

e que aos pouquinhos morria

de frente ao relicário.

Pode-se morrer por rezar?

Pode-se morrer por amar?

Perguntava ela ao santo

de feição inexpressiva

coração dilacerado

alma apreensiva.

Eis que ouve risinhos

do portão em frente

é Julinha que retorna

alheia ao seu sofrimento

Em sua displicência adolescente.

Vem em fitas

vem em flores

vem em cheiros

inconsciente do que causa

sejam risos

sejam dores.

Espinheiros.

Maria Julia és tu menina

guria ensimesmada

do vestido florido.

Maria Julia és tu menina

guria ensimesmada

do coração empedernido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s