Leviatã

Havia na terra de Uz um homem que andava só
Arrastava-se a beira do caminho
Descalço, desnudo, faminto
Ao vento, sereno, relento
Sem eira, na beira, no pó 
Compreendo seu desatino
Pois também ando sozinho
Me esgueirando, escondendo, escoando
Murchando, mirrando, morrendo
Atravessando meus dias de Jó.

Leviatã- AnnaClaudia- Dez2016

15781566_1512111828818837_9150398708264182123_n

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s